Back To Top

Afinal, o que é o Open Banking e como irá impactar o mercado financeiro?

O Open Banking promete impactar o mercado financeiro ao promover mais liberdade e autonomia para o cliente e dar mais competitividade ao setor.

A evolução da tecnologia e da transformação digital está impactando também o ambiente bancário e o Open Banking vem se tornando cada vez mais uma realidade viável e concreta para o mercado brasileiro. Ao mudar a visão da propriedade dos dados que sai das instituições e passam a ser do cliente, entende-se também que o cenário no país ainda está sendo desenhado e um ambiente de fomento a novas abordagens que entreguem um Open Banking eficiente e concreto ainda carecem de mais discussão.

Os bancos digitais e as fintechs já apostam neste tipo de formato para a troca de informações financeiras dos seus clientes, além da disponibilização de mais serviços para estes usuários. Na Europa, o Open Banking já é realidade e essa regulamentação está servindo de base para as demais iniciativas pelo mundo, com a adequação por parte dos bancos e instituições financeiras.

Quer saber mais sobre o Open Banking e em como irá impactar no mercado financeiro? Continue acompanhando a nossa publicação!

O conceito do Open Banking e a sua utilização pelo mundo

O Open Banking nasceu com o intuito de redemocratizar a informação do cliente que durante muito tempo foi de propriedade dos bancos e das instituições financeiras. Com o surgimento das leis de proteção aos dados e regulamentação na utilização dos dados dos clientes pelo mundo, esta informação mudou de dono – passou dos bancos e das instituições financeiras e passou a ser do próprio usuário, que decide e cede estas informações conforme a sua vontade.

A ideia principal do Open Banking é dar mais espaço para novas empresas e novos formatos de negócio que podem desenvolver aplicações em torno dos grandes bancos para oferecer melhores serviços aos clientes. Na visão do consumidor, este passa a ter todo um leque de opções disponíveis permitindo que tenha mais liberdade para transacionar as suas informações financeiras onde desejar. É o conceito de liberdade digital aplicada a um mercado que necessita de uma transformação digital – o mercado financeiro.

Para isso, será utilizado o conceito de APIs.

E o que é uma API?

Uma API (do inglês Application Programming Interface) é uma parte do sistema que se encarrega justamente da comunicação com os outros sistemas. Elas padronizam o formato como a comunicação é feita entre as aplicações e controlam este formato através de regras estabelecidas no mundo da computação.

No Open Banking, cada banco, empresa, fintech ou instituição continuará tendo a sua autonomia e segurança para desenvolver os seus sistemas, desde que disponibilizem os dados e informações através de um formato padronizado. A partir disto, uma série de produtos e serviços podem ser construídos por novas empresas que utilizam estes dados para criar novos negócios – e nenhum deles tem acesso aos dados e informações de um cliente sem que ele autorize a instituição previamente.

O Open Banking na Europa

As primeiras iniciativas neste tipo de conceito surgiram na Europa com o desenvolvimento da GPDR e já está sendo utilizado num formato regulamentado desde o ano de 2018 no continente. Com o PSD2 (do inglês Payment Services Revised Directive, no português Diretiva Europeia de Serviços de Pagamento) os bancos europeus estão recebendo uma regulamentação para a abertura das plataformas e para permitir que as informações de seus clientes sejam acessadas por terceiros, desde que haja uma autorização prévia deste cliente.

Além disso, esta regulamentação também informa a utilização de APIs para padronizar a transação de informações e também atuam sobre o surgimento de diversos serviços utilizados pelos usuários, desde que a partir de dois formatos:

  • Quando os provedores de serviços atuam na informação da conta para análise, controle de gastos e gestão consolidada de diversas contas bancárias numa carteira única;
  • Quando os provedores de serviços atuam no pagamento, para controlar e iniciar pagamentos em nome do usuário e gerenciar transferências para o pagamento de contas.

Um ponto importante do Open Banking é a mudança na visão dos grandes bancos frente a este novo conceito. No início da adoção na Europa, estas instituições acreditavam que era mais um exercício de conformidade e que na prática implicaria em mais gastos para o setor. Agora, estes mesmos  bancos já enxergam o Open Banking como uma ótima oportunidade de negócio e estão buscando mais atuação e espaço para competir a inovar.

O Open Banking no Brasil e o impacto no mercado financeiro brasileiro

No Brasil, desde abril o Banco Central estabeleceu algumas diretrizes com o intuito de orientar a proposta de regulamentação do modelo que será adotado no país. O compartilhamento de informações pode passar por produtos e serviços oferecidos pela instituição financeira, dados cadastrais de clientes (desde que previamente autorizados), dados transacionais dos clientes (também devidamente autorizados) e serviços de pagamento entre as instituições.

O Banco Central ainda está analisando o comportamento do mercado e o desenvolvimento deste conceito dentro dos grandes bancos nacionais, além das fintechs e empresas pequenas que atuam diretamente com a inovação digital. Outro ponto importante é que assim como foi na Europa, esta regulamentação será baseada na nossa Lei Geral de Proteção de Dados, a LGPD, e deve utilizar diversos pontos em comum para proteger o cliente e as suas informações.

No Brasil, o Banco do Brasil já começou com algumas iniciativas de Open Banking e a disponibilizar algumas das suas APIs para que empresas e fintechs selecionadas pela instituição já possam operar e prover serviços de forma integrada a conta dos seus clientes. Utilizando do padrão internacional de segurança OAuth, o Banco do Brasil busca complementar a experiência atual dos seus clientes com novas formas de contato com o banco.

Vantagens do Open Banking

Algumas vantagens e princípios básicos deste conceito são a liberdade e autonomia dos clientes, menos custos para o mercado como um todo ao padronizar a utilização de APIs e mais competição para o mercado, incentivando o surgimento de novas oportunidades de negócio e dando espaço para mais empresas com soluções inovadoras.

Saiba mais!

O Open Banking é uma ótima forma de entregar mais valor ao cliente num ambiente tão fechado quanto o do mercado financeiro, promovendo uma verdadeira transformação digital neste setor. As instituições financeiras não irão mais deter as informações dos clientes – que passam a ser donos dos seus dados e a ter mais controle sobre a sua vida digital e vida financeira.

Continue acompanhando as nossas publicações e saiba mais sobre estes e outros assuntos ligados a transformação digital!

>> Gostou?

Receba notícias sobre tecnologia diretamente no seu e-mail.
Cadastre-se agora mesmo.
Escrito por

Perfil oficial da Deal, neste perfil falamos dos nossos conteúdos institucionais e notícias sobre o que acontece na empresa. :)

Enviar Comentário

E-mail
Twitter
LinkedIn
Whatsapp