Como me torno um Agile Coach?
Back To Top

Como me torno um Agile Coach?

O papel do Agile Coach tem se tornado fundamental para um direcionamento assertivo em projetos ágeis. Saiba o melhor caminho para se tornar esse profissional.

Como você já sabe, em uma equipe ágil e saudável, temos três papéis bem definidos no processo de desenvolvimento. O Scrum Master, o facilitador de uma equipe de desenvolvimento, o Product Owner, o responsável pela visão do produto e pelos resultados deste produto no mercado e a figura do time de desenvolvimento, responsável por criar o produto de qualidade que satisfaça essa visão. Porém, neste artigo quero chamar sua a atenção para o Agile Coach.

Mas por que começamos o artigo lembrando dessas definições já bem conhecidas por nós e que fazem parte de projetos ágeis?

Porque o Agile Coach é o profissional responsável por preservar a estrutura ágil usada na empresa e treinar equipes, mesmo aqueles que já façam parte do processo e desempenham as funções que lembramos neste momento.

O Agile Coach se tornou estratégico para as empresas

Com agilidade, as perguntas sobre escopo, cronograma, orçamento, estratégias e abordagens técnicas são respondidas de forma mais assertivas por todos aqueles que fazem parte de um time ágil.

Entretanto, verificou-se que com o passar do tempo, princípios importantes da metodologia Ágil estavam esquecidos, mesmo que todos os ritos do Scrum sejam religiosamente executados.

O Agile Coach ajuda sua empresa a garantir que suas equipes entendam, adotem ou aperfeiçoem os mecanismos básicos da metodologia e as razões pelas quais são importantes. O Agile Coach permite ainda que você lide com os desafios à medida que eles surgem. Desta forma, é possível ajudar as organizações de diferentes maneiras:

  • Escrevendo ótimas histórias de usuários
  • Otimizando as sessões de preparação de backlog
  • Criando e otimizando equipes auto-organizadas
  • Aperfeiçoando a definição de feito
  • Criando retrospectivas produtivas
  • Adotando técnicas eficazes para atacar os impedimentos
  • Criando um ambiente eficaz e produtivo para Scrum Masters, Product Owners e membros da equipe

É nesse ambiente, que o Agile Coach navega, orientando os times a melhorar suas entregas, reduzindo desperdícios e atendendo  cada vez melhor o cliente.

Essa abordagem tem sido estratégica para muitas empresas, fazendo com que muitos profissionais experientes se tornem um Agile Coach para atender a esse demanda crescente nas organizações.

Mas como se tornar um Agile Coach? Vamos entender melhor essa resposta.

Como se tornar um Agile Coach?

O mais importante nessa transição para um Agile Coach é entender a responsabilidade de conduzir as equipes a gerarem melhores resultados nos projetos atuais e futuros.

1. Para se tornar um Agile Coach é preciso formação e experiência

Um Scrum Master com experiência em levar as equipes do projeto que participa para além do básico do Scrum, tende a ser um Agile Coach. Aliado a essa experiência, é preciso desenvolver habilidades ligadas ao ensino, orientação, mediação de conflitos, resolução de problemas e coaching profissional. Tudo isso em um contexto ágil.

2. Mais importante do que qualquer curso, é preciso ter prática

Aprender sobre qualquer um desses aspectos ligados ao coaching é útil e há cursos de Agile Coach para ajudá-lo a fazer isso. Porém, mais importante do que qualquer curso será ter a prática necessária que vai levar você a se tornar um Agile Coach.

A experiência com as equipes em projetos ágeis servirão para presenciar situações que mostram, muito claramente, onde estão as lacunas e fraquezas em suas habilidades. Quando isso acontecer, desenvolva ou melhore essa habilidade em particular. As aulas podem ajudar, mas treinar equipes ágeis não é uma atividade acadêmica. Agile é uma prática ativa.

Podemos descrever 8 importantes elementos na composição de um Agile Coach:

  • Mentor
  • Consultor
  • Coach
  • Conselheiro
  • Agente de Mudanças
  • Facilitador
  • Líder Lean
  • Instrutor / Professor

Vale destacar ainda que elementos relacionados ao domínio técnico, de negócios e de transformação agregam ainda mais um perfil ligado ao Agile Coach que estiver contribuindo em um ambiente convergente entre o técnico e negócios.

Estrutura de Competências de um Agile Coach

Além da capacidade de aprender e compreender as estruturas ágeis ao nível teórico e prático, o Agile Coach precisa desenvolver princípios e valores que o norteia nas ações a serem aplicadas em times de desenvolvimento ágil, Product Owner e Scrum Master dos projetos.

  • Coaching profissional – Habilidade para atuar como coach, buscando o interesse do cliente, determinando a direção, ao invés de colocar a expertise ou opinião do coach.
  • Capacidade de realizar mentoria – Transmitindo a experiência, o conhecimento e a orientação para ajudar no desenvolvimento de outras pessoas nos mesmos domínios de conhecimento ou experiências.
  • Capacidade de ensino para compartilhar o conhecimento certo – Ensinar no momento certo e da maneira correta, para que indivíduos, equipes e organizações transformem o conhecimento para o seu melhor benefício.
  • Domínio Técnico – Capacidade de arquitetar, conceber, codificar, testar ou realizar alguma outra prática técnica, com foco na promoção de habilidades através do exemplo e do ensino prático.
  • Foco em negócios –  Capacidade de aplicar estruturas de gestão e estratégia de negócios para empregar o conceito ágil como uma vantagem comercial competitiva com técnicas de inovação de produto, abordagens de gerenciamento de processos de negócios baseadas em fluxo e outras técnicas relacionadas à inovação no domínio de negócios.
  • Aptidão para transformação –  Capacidade de facilitar, catalisar e liderar a mudança e a transformação organizacional. Essa área se baseia no gerenciamento de mudanças, na cultura e desenvolvimento organizacional, no pensamento sistêmico e em outras ciências comportamentais.

Agile Coach e o mercado de trabalho

Para o mercado de trabalho, o Agile Coach é um treinador corporativo que interage com os funcionários para garantir a execução mais eficaz dos padrões corporativos. Esses “treinadores” são normalmente empregados para fazer melhorias ambiciosas na motivação, nas habilidades ou na fluência social dos trabalhadores, e muitos são avaliados através dos seus perfis públicos antes de serem contratados.

Basicamente, existem três variedades de Agile Coaches com subconjuntos de especialização mais definidos:

  • Coaches técnicos – Que trabalham com desenvolvedores e devem estar familiarizados com codificação e integração;
  • Coaches de processos / gerenciamento – Fornecem orientação em liderança e implementação;
  • Coaches não diretivos – Fornecem ajuda individualizada para pessoas que tentam resolver vários problemas privados.

 A média salarial para esse profissional gira em torno de R$ 6.000,00 a 16.000,00. Critérios como experiência, habilidades e a cidade para onde a vaga será aplicada interfere diretamente nessa variação salarial.

O papel do Agile Coach em um ambiente de desenvolvimento

Por fim, o Agile Coach pode ajudar com intervenções para casos em que a equipe está passando por problemas ou não está seguindo mais as práticas ágeis.

A disponibilidade de um profissional como o Agile Coach proporciona tranquilidade às equipes ágeis, garantindo que as melhores práticas sejam seguidas. O coach atua como mediador, mentor e facilitador de toda a equipe, ajudando-a a aprender técnicas que promovem forte colaboração e comunicação que resultem em um produto final de alta qualidade.

>> Gostou?

Receba notícias sobre tecnologia diretamente no seu e-mail.
Cadastre-se agora mesmo.
Escrito por

Jovem Executivo de Inovação, Mercado Financeiro e Soluções de Tecnologia, com mais de 15 anos de experiência no Brasil e no exterior, focado em resultado de Equipes e Projetos, através de Transformação Digital, com uso de Tecnologias de Ponta e Metodologias Ágeis e Enxutas. Formado em Gestão e Economia com foco em Relações Internacionais pela Universidade de Zurique (Suíça) e Bacharel em Administração na PUC-SP. Atuou por 03 anos no exterior (Inglaterra, Portugal e Suíça). Cursou Mercado Financeiro e Gestão de Projetos pelo Ibmec/Insper–SP. Apaixonado por viagens, mochileiro por mais de 50 países, sendo boa parte realizado numa viagem de volta ao mundo em 2012.

Enviar Comentário

E-mail
Twitter
LinkedIn
Whatsapp