Cultura Maker - Você pode ser um!
Back To Top

Cultura Maker

A Cultura Maker tem sido uma das grandes responsáveis pelo impulso da Transformação Digital que vivemos hoje . Saiba mais sobre sua importância e impacto na economia.

A Cultura Maker é uma tendência que valoriza a capacidade de um indivíduo de ser um criador, indo além de ser apenas um consumidor das coisas.

Nessa cultura, os indivíduos que criam coisas, produtos ou serviços são chamados de “Makers”. Os fabricantes vêm de diferentes áreas, com diversos conjuntos de habilidades e interesses. O que eles têm em comum é a criatividade, o interesse pelo design e o acesso a ferramentas e matérias-primas que tornam a produção possível.

Mas talvez o que você não saiba é que o surgimento da cultura Maker não é de hoje. Ela começou a ter destaque no Vale do Silício nos anos 60 e 70 e foi a partir desse movimento que nasceram grandes empresas de tecnologia, a exemplo da Intel, HP, Apple e muitas outras.

A garagem foi local de muita inovação e o início de grandes empresas

Maker, DIY, Hands-on. A importância dessa cultura ascende a forma como definimos seu nome. O que importa realmente é pensar que a garagem foi o pontapé inicial para importantes iniciativas empreendedoras.

A exemplo de indivíduos como Elon Musk, que aprendeu computação aos 12 anos de idade, ou Steve Jobs, que criou a Apple em uma garagem. Temos no movimento Maker a crença que somos todos criadores e empreendedores. Para se ter uma ideia, hoje, mais de 46% dos americanos se identificam como parte da comunidade de Makers, incluindo jovens e idosos.

A garagem se tornou algo tão representativo na história e na cultura Maker que empresas como Google, Microsoft, entre outras grandes organizações possuem seus programas de “Garagem” para incentivar novas ideias de produtos ou serviços.  Conheça mais alguns exemplos de negócios que surgiram de uma garagem.

  • Henry Ford construiu seu primeiro veículo movido a gasolina em uma garagem.
  • Thomas Edison e Nikola Tesla tinham uma série de laboratórios onde criaram grandes invenções.
  • Bill Hewlett e David Packard começaram a desenvolver osciladores de áudio em sua garagem na 367 Addison em Palo Alto.
  • Antes de sua grande oportunidade de vender um sistema operacional para computadores IBM PC, Bill Gates e Paul Allen criaram hardware para medir automaticamente o tráfego de carros.
  • Steve Wozniak projetou e construiu os primeiros computadores da Apple.

Conhecida a história vem a pergunta, o que torna a Cultura Maker nova e diferente?

A cultura Maker se tornou vital para a Transformação Digital

O crescimento do movimento maker é muitas vezes atribuído à ascensão dos chamados Makerspaces, centros abertos onde os “Makers” ou fabricantes podem acessar ferramentas que muitas vezes seriam inacessíveis para pessoas comuns.

Locais como esse, abrem as oportunidades de colaboração e incentivam o empreendedorismo, uma vez que o acesso a ferramentas de fabricação digital, como impressoras 3D, cortadores a laser, software CAD e máquinas de usinagem torna possível a criação de novos produtos e serviços alinhados com a Transformação Digital que vivemos atualmente.

Mesmo incentivado por grandes organizações e empresas, a maioria das pessoas que representam a Cultura Maker são amadores, empreendedores e pequenos fabricantes. Essa característica tem tornado o movimento internacional, sendo promovido por revistas, convenções, canais de vídeo e mercados baseados na Web.

Como a Cultura Maker está inspirando a próxima geração de inovadores

Além de permitir aos membros da comunidade projetar, prototipar e fabricar produtos usando ferramentas de tecnologia de última geração, os Makerspaces ou Fab labs (laboratórios de fabricação) promovem a livre troca de ideias, recursos e a colaboração em projetos, compartilhando conhecimento em reuniões ou até mesmo mão de obra para a construção dos projetos.

A combinação de fabricantes e tecnologias inovadoras, a exemplo do mini-computador Raspberry Pi e o microcontrolador Arduino, juntamente com a impressão 3D, estão impulsionando a inovação na fabricação, engenharia, design industrial, tecnologia da informação e educação.

Desta forma, muitos “Makers”, ainda que se considerem amadores ou entusiastas, são uma fonte vibrante e fundamental de inovação, abraçando a criatividade, desenvolvendo novos produtos e gerando valor na cultura Maker. Na verdade, não é incomum que alguns desses fabricantes deem o salto como empreendedores e iniciem suas próprias empresas.

Por que o futuro da economia Digital pertence aos inovadores da Cultura Maker?

Os desafios à entrada de pessoas que desejam desenvolver produtos inovadores são cada vez menores. A criação de protótipos de produtos, por exemplo, que antes custavam muitos milhares de dólares, agora podem ser criados em espaços de fabricação a um custo muito menor.

Isso quer dizer que a inovação está próximo a diferentes setores da sociedade, profissionais ou não. Para se ter uma ideia, veja abaixo uma lista dos recursos de tecnologia que hoje estão acessíveis a comunidade de Makers:

  • Hardware de última geração;
  • Software de design;
  • Rede de computadores de alta velocidade;
  • Armazenamento de dados;
  • Desenvolvimento de aplicativos;
  • Placa de circuito impresso;
  • Impressão 3D;

Além disso, os custos para projetar, desenvolver, prototipar e testar produtos hoje são significativamente mais baratos quando comparados com alguns anos atrás. Vale destacar também o avanço tecnológico dos recursos de hardware e software atuais, junto com inovações relacionadas a vendas on-line e crowdsourcing de investimento.

O impacto do financiamento coletivo e vendas on-line para o crescimento da Cultura Maker

No passado os Makers que buscassem colocar um produto no mercado precisavam levantar grandes somas de dinheiro para simplesmente construir um protótipo. O financiamento muitas vezes só era possível apenas trabalhando para uma grande empresa disposta a destinar seu orçamento para esse tipo de projeto ou ainda, encontrando investidores para ter uma chance.

O surgimento de plataformas de crowdfunding, a exemplo do Kickstarter, fez com que a comunidade Maker passasse a ter mais opções para financiar projetos e assim, chamar a atenção de empresas ou investidores tradicionais.

Outra inovação que passou a ajudar no crescimento da Cultura Maker foi o surgimento e acesso às plataformas de vendas e marketing. Uma variedade de novas startups na Internet passou a ajudar, fornecendo canais de vendas ao consumidor e publicidade, que antes exigiam uma equipe dedicada ao processo de vendas e publicidade.

Exemplos na prática

A Deal, através do seus laboratórios de Inovação é um exemplo do potencial da Cultura Maker.

Com uma área de pesquisa dedicada a buscar métodos ou dispositivos computacionais que possuam a capacidade de resolver problemas, pensar ou, de forma ampla, ser inteligente. Possui equipe interdisciplinar que permite abranger algumas verticais de tecnologia, desenvolvendo projetos de hardwares, circuitos eletrônicos personalizados para cada projeto de inovação.

Você está pronto para aproveitar essa grande onda de inovação? Todos os sinais mostram um novo e brilhante futuro na indústria de inovação. A Cultura Maker estimula cada vez mais a criação de produtos e serviços inovadores, impulsionando cada vez mais a Transformação Digital e a nova Economia Digital.

>> Gostou?

Receba notícias sobre tecnologia diretamente no seu e-mail.
Cadastre-se agora mesmo.
Escrito por

Sócio Diretor da Deal - Formado Engenharia Elétrica pela Escola Politécnica da USP Pós Graduado em Administração pela FGV. Construiu mais de 21 anos de experiência em IT Management nos segmentos de E-Commerce, Turismo on-line e mercados de Incentivo e Fidelização e larga experiência no gerenciamento de plataformas de missão crítica, com alta performance e escalabilidade. Foi Gerente de TI no Submarino.com e B2W Viagens, Diretor de TI no Walmart.com, CTO na Belezanaweb, CIO do Grupo LTM e atualmente é sócio da Deal.

Enviar Comentário

E-mail
Twitter
LinkedIn
Whatsapp