Dormi Gerente de Projetos e acordei Scrum Master. E agora? | Deal Blog
Back To Top

Dormi Gerente de Projetos e acordei Scrum Master. E agora?

Sai o Gerente de Projetos e entra o Scrum Master. De gestores a facilitadores, saiba quais são os grandes desafios da transição para esse novo profissional.

Mudança de paradigma talvez seja a melhor expressão que possa explicar essa transição entre Gerente de Projetos para Scrum Master.

A forma de gerenciar projetos através de metodologias tradicionais, a exemplo do Waterfall e Prince 2 ou através de estratégias e boas práticas como PMBOK e Six Sigma contribuíram para diversos cases de sucesso, porém, com a Transformação Digital foi preciso mudar.

Diferente das diversas metodologias de gestão de projeto, que normalmente surgiam com a proposta de realizar um aperfeiçoamento ou corrigir possíveis falhas de algum padrão existente, o Scrum foi além e se apresentou como uma ruptura, tanto no aspecto de processo de trabalho quanto da cultura organizacional e comportamento.

E por isso, muitos gerentes de projetos, com vários anos de experiência em diferentes empreendimentos acordaram um dia com a missão de se tornarem Scrum Master.

Sai o Gerente de Projetos e entra o Scrum Master

Muito diferente do gerenciamento tradicional de projetos, o Scrum Master surge com a responsabilidade de ser um facilitador de uma equipe de desenvolvimento ágil. O Scrum é uma metodologia que permite que uma equipe se auto-organize e execute os projetos de acordo com as informações trocadas diariamente.

A principal mudança vista nesse novo paradigma de gestão de projetos é uma mudança de visão quanto às responsabilidades de cada membro do time e na cultura de execução na criação de um produto ou serviço.

Na prática, as diferenças principais entre gerente de projetos e Scrum Master pode ser dividida em 3 áreas principais:

Planejamento

O planejamento, definição de escopo e cronograma deixam de ser direcionados ao projeto e ao time de desenvolvimento e passa a ser focada na sprint e no backlog do produto.

O antigo gerente não decide mais unilateralmente tarefas e responsabilidades do time e agora, como Scrum Master, ele ajuda as equipes a seguirem as práticas do Scrum, o que inclui facilitar as reuniões diárias e o planejamento da sprint junto com a equipe.

Execução

O Scrum Master, como facilitador, trabalha removendo barreiras e distrações externas para que a equipe possa se concentrar em seu trabalho. Uma prática muito diferente do gerente de projeto que se concentrava na execução do cronograma definido no início do projeto, com pouca flexibilidade e pouca interação com a equipe quanto a solução de impedimentos.

Gestão

Enquanto gerente de projeto, as atividades de gestão concentrava-se no monitoramento dos planos de projeto e mitigação de riscos. No papel de Scrum Master, como seu foco está no backlog do produto, ele faz a ponte entre o Product Owner e os times de desenvolvimento quanto as requisições e prioridades do projeto.

Vale destacar que quando nos referimos a uma equipe de desenvolvimento ágil, de forma semelhante a gestão de projetos clássica, não estamos amarrando a uma aplicação apenas de times de tecnologia, mas, aplicável a diferentes segmentos do mercado ou tamanhos de projeto.

O Scrum Master não é o líder do projeto

Embora o título de Scrum Master seja poderoso, ele não é o líder do projeto e não é responsabilizado pelos resultados, diferente do conceito adotado pela gestão de projetos que conhecemos tradicionalmente. A equipe como um todo é responsável pelos resultados.

Como um moderador, o Scrum Master atua removendo os impedimentos identificados pelo time no decorrer do projeto. Ele lembra a equipe das regras e práticas que foram adotadas para si mesmos.

O Scrum Master facilita na reunião diária, chamada de stand-up meeting, planejando reuniões, retrospectivas e quaisquer discussões entre os membros do time de desenvolvimento e do cliente.

A mudança de paradigma não significa um trabalho fácil

A mudança de visão quanto a condução de um projeto e nova cultura de trabalho, quando comparado ao antigo gerente de projetos, não significa que o trabalho seja fácil, o Scrum Master basicamente é responsável por:

  • Ajudar a equipe a chegar a um consenso sobre o que pode ser alcançado durante um período específico de tempo (Sprint);
  • Contribuir com que a equipe alcance consenso durante as reuniões executadas diariamente;
  • Fazer com que a equipe mantenha o direcionamento nas regras acordadas durante o projeto;
  • Remover obstáculos que estão impedindo o progresso da equipe;
  • Proteger a equipe de situações que possam tirar o foco do projeto.

Ao surgirem conflitos dentro da equipe ou entre os times de desenvolvimento e os clientes, o Scrum Master ajudará as várias partes a resolvê-las. A equipe se esforça para melhorar continuamente seu processo de trabalho e a qualidade do produto que está sendo desenvolvido. Assim, o Scrum Master ajuda a equipe a tornar essa melhoria uma realidade.

A maioria das responsabilidades de um gerente de projetos em um processo tradicional, a exemplo do Waterfall, são incorporadas ao framework Scrum. No entanto, uma organização tem a total liberdade, pode ter razões válidas, para adicionar posições ou responsabilidades não definidas no conceito do Scrum.

O princípio da auto-organização aplicada a gestão de projetos

O princípio de uma equipe auto-organizada, que gerencia sua própria carga de trabalho a partir de um backlog de atividades priorizado e alinhado com os interesses do cliente, aplica-se a outras estruturas de gerenciamento de projetos ágeis, como o Kanban, e a abordagens ágeis, como Extreme Programming.

Com o Scrum,  questões como escopo, cronograma, orçamento e status geral são respondidos de forma mais adequada pelo cliente (Product Owner), sendo ele a responsável por decisões estratégicas em relação aos aspectos do projeto, todos os dias. Com agilidade, as perguntas sobre decisões e abordagens técnicas são adequadamente respondidas pelos membros da equipe.

Portanto, em vez de precisar de um gerente de projeto para definir as entregas, coordenar as ações entre os membros da equipe e fornecer informações de status, precisamos de um Scrum Master.

Com essa ruptura de conceito em relação ao gerenciamento de projetos, temos uma pessoa, na figura do Scrum Master, que ajuda a equipe a alcançar importantes resultados.

  • Contribui, através de uma estrutura ágil, produzir resultados de alta qualidade, de maneira previsível e frequente;
  • Colabora em identificar e resolver disfunções no projeto;
  • Detecta situações que limitam o andamento do projeto e faz as mudanças necessárias para resolvê-las;
  • Busca junto com o time de desenvolvimento, o alto desempenho para que possam produzir os melhores resultados.

Scrum Master e o desafio da transição

Em um momento de transição entre o gerente de projetos e o Scrum Master é preciso entender a mudança quanto a dinâmica do projeto. O gerenciamento de projetos “tradicional” é configurado para resultados mais lentos e repetíveis enquanto o Agile oferece resultados rápidos e criativos.

Ao visualizar em diferentes aspectos, além de termos um horizonte temporal mais longo, o tradicional permite acomodar as limitações e disfunções de uma empresa. O Ágil não pode tolerar limitações ou disfunções porque restringe a capacidade da equipe de produzir resultados e produtos durante seu processo de desenvolvimento.

O mais importante neste momento de transição, o novo Scrum Master precisa incorporar em sua cultura as habilidades do perfil ágil, e portanto, disciplinas aliadas ao contexto ágil como orientação e facilitação, mediação de conflitos, resolução de problemas e coaching profissional devem ser incorporados ao novo perfil deste profissional que passa por essa mudança.

Portanto, a transição entre gerente de projetos e Scrum Master podemos sintetizar em 3 passos fundamentais:

  1. Adaptar-se quanto a autonomia da equipe nas decisões relacionadas as sprints do projeto, sempre convergindo as prioridades do Product Owner e o backlog do produto.
  2. Incentivar a mentalidade de “estamos todos juntos nisso” e por isso o conceito de equipe deve ser aperfeiçoado constantemente para que o projeto de desenvolvimento tenha sucesso.
  3. Promover o debate entre equipe nas questões complexas e estratégicas da equipe. A experiência e as opiniões do time passam ser a base para importantes decisões do projeto.

Por fim, você deve ter entendido que o Scrum Master se torna especialmente necessário nas situações consideradas críticas para fazer perguntas-chave que ajudarão as pessoas a tomarem as decisões corretas e que vão impactar na entrega do produto e nos resultados da empresa.

Com autoridade limitada para garantir que a equipe siga o processo, o papel do ScrumMaster pode ser mais difícil do que o típico gerente de projetos. Muitas vezes os gerentes de projetos geralmente têm a prática de impor o “fazer isso porque eu digo”.

Em tempos de Scrum Master podemos dizer que eles são limitados e restritos para garantir que o Scrum esteja sendo seguido. Bom dia Scrum Master!

>> Gostou?

Receba notícias sobre tecnologia diretamente no seu e-mail.
Cadastre-se agora mesmo.
Escrito por

Jovem Executivo de Inovação, Mercado Financeiro e Soluções de Tecnologia, com mais de 15 anos de experiência no Brasil e no exterior, focado em resultado de Equipes e Projetos, através de Transformação Digital, com uso de Tecnologias de Ponta e Metodologias Ágeis e Enxutas. Formado em Gestão e Economia com foco em Relações Internacionais pela Universidade de Zurique (Suíça) e Bacharel em Administração na PUC-SP. Atuou por 03 anos no exterior (Inglaterra, Portugal e Suíça). Cursou Mercado Financeiro e Gestão de Projetos pelo Ibmec/Insper–SP. Apaixonado por viagens, mochileiro por mais de 50 países, sendo boa parte realizado numa viagem de volta ao mundo em 2012.

Enviar Comentário

E-mail
Twitter
LinkedIn
Whatsapp