Back To Top

Inteligência Artificial é ou não é inteligente: Até que ponto estamos construindo algo próximo a inteligências reais?

Os campos de estudo da inteligência artificial estão impactando diretamente nos sistemas inteligentes, mas a pergunta é: trazem de fato uma inteligência real?

A inteligência artificial não é um tema novo no campo da tecnologia e muitos associam este tipo de estudo às ficções científicas que constroem uma mística de dominação mundial. Por conceito, se baseia no desenvolvimento de uma inteligência similar a humana e que é controlada por mecanismos ou por algum software específico.

O desenvolvimento deste campo tomou um impulso gigantesco nos últimos tempos principalmente devido a evolução tecnológica e ao aumento do poder computacional disponível. Estes novos sistemas que se baseiam na inteligência artificial estão permitindo que os dispositivos aprendam padrões e forneçam previsões e serviços aos humanos.

E a grande pergunta é: a inteligência artificial é ou não é inteligente? Continue acompanhando a nossa publicação e saiba mais!

O desenvolvimento da inteligência artificial ao longo do tempo

Definida primeiramente por John McCarthy numa conferência de especialistas na área em 1956 como “a ciência e engenharia de produzir máquinas inteligentes”, a inteligência artificial evoluiu enormemente nos últimos anos. Desde 1956, ganhou corpo e está mais presente do que nunca na vida da sociedade, principalmente devido a evolução tecnológica e ao aumento do poder computacional.

Indo além da programação de ordens específicas e criação de lógicas, a inteligência artificial toma decisões de forma autônoma baseada em padrões e no aprendizado via o exemplo. O aumento da disponibilidade de dados a partir da utilização do BigData também tem impulsionado o desenvolvimento dos sistemas inteligentes e as aplicações são as mais diversas.

A inteligência artificial está muito presente no dia a dia das pessoas através de aplicações e sistemas inteligentes que permitem o aprendizado através do exemplo. Estas aplicações vão desde os filtros de spam nos emails até as mais novas tecnologias de reconhecimento facial para a segurança e a identificação de pessoas apenas pela sua face.

E uma coisa é certa – mesmo com tantos exemplos e tanto sucesso nas aplicações que utilizam da inteligência artificial, não é a “SkyNet” que aprende totalmente sozinha e tem como meta a dominação mundial. Fazer uma máquina pensar como um humano ainda é um desafio gigante para os cientistas de dados e os profissionais da área, principalmente pelo amplo processamento de variáveis e da generalização do conceito de criatividade, imitando o cérebro humano.

Áreas de desenvolvimento da inteligência artificial

A inteligência artificial é um amplo campo de estudos e conceitos diversos e as suas aplicações também se dividem em áreas como o análise e processamento de vídeo, análise, processamento e classificação de imagens e até o processamento de linguagem natural. Todas estas áreas estão sendo desenvolvidas e estudadas dia a dia e novas barreiras estão sendo quebradas juntamente com estes avanços.

Utilizando das tecnologias de Machine Learning e Deep Learning, a inteligência artificial consegue desenvolver modelos que são utilizadas em todas as áreas e melhorando enormemente os resultados das aplicações.

O processamento e análise de vídeos

O processamento de vídeos em tempo real é uma das áreas de aplicação da inteligência artificial que ganha corpo principalmente pelas aplicações de reconhecimento facial. Os modelos desenvolvidos conseguem detectar a presença de um rosto humano e assim descobrir quem é aquela pessoa a partir de uma base de dados de pessoas conhecidas.

Isso demonstra o poder de aplicação em práticas de segurança ou de controle de um número limitado de uma população, como numa empresa ou num determinado evento – e tem muito a crescer a partir do desenvolvimento tecnológico e da melhora das respostas em tempo real.

O processamento, análise e classificação de imagens em tempo real

A classificação de imagens é um campo que foi amplamente estudado principalmente devido ao desenvolvimento do Deep Learning, ou os algoritmos de aprendizado profundo. Utilizando este tipo de algoritmo, a inteligência artificial consegue ótimos ganhos de performance e acurácia para definir os grupos corretos de cada imagem – como numa máquina de separação e classificação de sementes de acordo com o seu tamanho e/ou qualidade, por exemplo.

Esta área ainda se desenvolve e já oferece resultados satisfatórios e muitas vezes melhor do que uma análise de um humano. Outro campo de estudo que tem se beneficiado do processamento de imagens é o campo da medicina e diagnóstico, que auxiliam os médicos na classificação e na detecção de doenças.

O processamento de linguagem natural

Este é um dos campos mais estudados atualmente no que diz respeito a inteligência artificial e o aprendizado de máquina. O processamento de linguagem natural remete a mudança na forma como se interage com as máquinas – em vez de ir navegando através de menus e opções disponíveis como em quase todos os sistemas hoje, se diz o que se quer ao sistema inteligente e ele processa o que foi pedido, entregando a resposta de forma rápida e fácil.

É uma mudança de paradigma na interação com as máquinas para que ao invés de aprender como operar, apenas diga o que se quer e o próprio sistema irá processar a linguagem natural humana para entender o que foi pedido e entregar o resultado.

Saiba mais!

É importante entender que a inteligência artificial tem sim um grande poder de transformar a sociedade e melhorar a interação com os sistemas inteligentes, impactando diretamente nos resultados e na eficiência destes sistemas. A grande questão é que estes sistemas ainda não são inteligentes de fato, não imitando a inteligência humana.

Quer saber mais sobre inovação e tecnologia? Continue acompanhando as nossas publicações!

>> Gostou?

Receba notícias sobre tecnologia diretamente no seu e-mail.
Cadastre-se agora mesmo.
Escrito por

Especialista em IoT, IA e Inovação na Deal, aluno de Engenharia Aeroespacial, entusiasta da aviação, impressão 3D e sistemas embarcados.​ Está a mais de 5 anos no mercado de tecnologia, sempre descobrindo coisas novas para aprender.

Enviar Comentário

E-mail
Twitter
LinkedIn
Whatsapp